Afinal, estaria Rio das Ostras de fato voltada para o receptivo de turistas de transatlântico?

O jornal O Dia divulgou hoje uma matéria na qual revela o aumento de turistas de todo mundo aportando de navio (transatlânticos) no Rio de Janeiro. No final, o jornalista apresenta um dado da secretaria de Estado de Turismo dizendo que o destino de grande parcela desses turistas são cidades da serra fluminense e da Região dos Lagos, como Cabo Frio e Rio das Ostras.

Mês passado conversei com um empresário de muito respeito do setor de turismo, que escolheu Rio das Ostras para ampliar seus negócios no ramo de hotelaria. O dono do hotel Villarejo, de Rio das Ostras, João Batista, com mais de 63 viagens de transatlântico ao redor do mundo afirmou que esse tipo de turismo não traria grandes encrementos à economia de Rio das Ostras. Segundo ele, o turista de navio não gasta em terra porque o navio já tem tudo o que o passageiro busca numa viagem assim. O que esse turista compra em terra são pequenas lembrancinhas. João comentou que hoje em dia é caro demais para a empresa pagar a ancoragem do navio no cais do Rio. Alguns pacotes preferem rotas com pernoites numa cidade mais barata na Argentina.

Mas não é essa a mesma concepção do vice-prefeito, Broder, que recentemente deu uma entrevista ao jornal de Macaé Expresso Regional anunciando a contrução de um mega porto para a recepção de navios de grande porte de turismo, ou seja, transatlânticos. Assim como ele, outros empresários da cidade compartilham da iniciativa que poderia ser mais um equívoco entre os tantos já praticados pela administração pública local.

Antes de elaborar mega projetos que não atendem às necessidades da cidade e de sua mega população de quase 120 mil pessoas, os gestores públicos deveriam estudar mais e ouvir mais quem entende no negócio.

Leia matéria publicada hoje no jornal O Dia

RIO TEM RECORDE DE TURISTAS MARÍTIMOS NO CARNAVAL

Até o próximo domingo, 37 transatlânticos devem passar pela capital

Rio –  O Terminal de Cruzeiros da Píer Mauá, no Porto do Rio, vai registrar a maior movimentação da sua história durante a semana de Carnaval. Até o próximo domingo (26/2), 37 transatlânticos terão passado pela cidade, trazendo 86 mil turistas para participar da folia. Juntos, os foliões vão injetar na economia do Rio cerca de US$ 25,8 milhões.De sábado até esta terça-feira (21/02), data oficial do Carnaval, 22 navios devem atracar no porto. Na quinta-feira, outro transatlântico chega à cidade e, sexta-feira, mais dois. No sábado, quando haverá o Desfile das Campeãs, seis embarcações chegarão ao Rio. No domingo, mais seis navios atracam no terminal, encerrando a “folia marítima”.

Outro recorde é o tempo de permanência na cidade que passou de dois para quatro dias no caso de navios de longo curso. Os cruzeiros nacionais também acompanham essa tendência. Segundo o diretor de Operações, Américo Rocha, a Píer Mauá se estruturou para receber os passageiros. A preocupação foi garantir a ordem e a segurança no entorno do terminal.

“Nossa intenção é evitar que os turistas tenham problemas de qualquer natureza, mesmo em setores onde não temos autonomia para agir, como a fiscalização de taxistas que descumprem as determinações da lei municipal”, afirmou Rocha.E a temporada de turistas marítimos já começou no ritmo do Carnaval. Uma parte da bateria da Escola de Samba Beija-Flor de Nilópolis, a campeã do ano passado, com a passista Carla Cachoeira à frente, recepcionou os visitantes no terminal de desembarque. O mineiro de Poços de Caldas, Marcos Paulo Sena de Freitas, 22 anos, embarcou em Santos, no litoral paulista, para passar o Carnaval no Rio e na Região dos Lagos. Ele caiu no samba logo que desceu do navio. “É bom demais! Não tem Carnaval melhor que o do Rio de Janeiro” vibrou.Veio folião até da Ucrânia para curtir a folia carioca, como foi o caso do médico Yakov, que visita a cidade pela primeira vez. “Esta é a melhor viagem da minha vida. Não podia ter outro destino possível em fevereiro que não fosse vir conhecer o Carnaval do Rio de Janeiro”, afirmou o cirurgião.O casal Jorge Parada e Ana Maria Salgado viajou menos. Os dois e mais o filho Ignacio embarcaram em Valparaíso, no Chile, para um cruzeiro marítimo de 14 dias até o Rio, onde aproveitarão a festa carioca durante quatro dias, inclusive assistindo aos desfiles das escolas de samba no Sambódromo pela primeira vez. “Antes via os desfiles pela televisão lá no Chile, mas no Sambódromo é bem diferente. É muito mais emocionante”, espera o turista.E não foi só a capital fluminense que comemorou números positivos de turismo durante os dias de folia. Cidades do interior como Cabo Frio e Rio das Ostras, na Região dos Lagos; Paraty e Angra dos Reis, na Costa Verde; Petrópolis e Nova Friburgo, na Serra Verde Imperial, são as mais procuradas pelos visitantes, segundo dados da Secretaria de Turismo.“Estamos trabalhando intensamente a divulgação dos 92 destinos turísticos fluminenses, para que em breve o Rio de Janeiro seja conhecido como o estado das ‘cidades maravilhosas’, uma vez que é cercado, a poucos quilômetros de distância, por algumas das mais sedutoras cidades do Brasil, localizadas na serra e no litoral do estado”, disse o secretário Ronald Ázaro.

Anúncios

Um pensamento sobre “Afinal, estaria Rio das Ostras de fato voltada para o receptivo de turistas de transatlântico?

  1. No caso de Rio das Ostras, seria uma situação sui generis: a cidade continua não tendo rodoviária, mas teria porto para transatlânticos… Mas nossos governantes sempre gostam de complicar, não faz muito tempo se cogitou seriamente construir um aquário, quem lembra?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s